Páginas

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Não confunda as coisas…

Em Lucas 15:11, lemos a parábola do homem que tinha dois filhos… Essa parábola é mais conhecida como a “parábola do Filho Pródigo”!

Essa parábola é provavelmente uma das mais comentadas do Novo Testamento. E além disso, ela gera muita divergência de opinião – em saber exatamente o que Jesus estava querendo dizer.

Na minha opinião, há um certo abuso de interpretação do sentido real dessa história! Em partes, eu sinto de que muitos usam essa parábola para justificar seus erros e obrigar os demais a aceita-los!

Essas pessoas dão ênfase, no fato de que o Pai recebeu tão bem o filho errado, e ainda condenou o filho fiel pelo seu comportamento invejoso!

E realmente…

  • O Filho mais velho agiu errado na hora da festa, em celebração ao retorno do seu irmão! Isso foi e é condenado!
  • Também, é claro na história a alegria do Pai, pelo retorno do filho mais moço! Que Pai não ficaria feliz em ver seu filho em casa novamente???

Todavia, não podemos confundir as coisas! A festa, a alegria, os presentes, o churrasco… NADA DISSO ANULA o erro do filho!

Não podemos minimizar os danos, de um afastamento da casa do pai! Não podemos achar que não é grave o sair da casa de Deus! A casa de Deus, não é a “casa da dona Joana”! Aqui não pode ser um entra e sai, sem consequência!

Se realmente o sair da casa do Pai, voltar a hora que quer, não produz consequências… então o filho mais velho tinha razão nos seus sentimentos! QUE VALOR TEM SER FIEL? Se o fiel e o infiel tem o mesmo valor diante do Pai?

Eu creio numa Igreja de portas abertas… eu creio num Pai amoroso! Eu oro para que “todas as ovelhas perdidas” voltem ao aprisco… MAS EU NÃO QUERO DE FORMA NENHUMA, AGIR COMO SE O SAIR DA CASA DE DEUS NÃO FOSSE ALGO TERRIVEL E PREJUDICIAL! Não podemos minimizar esse erro grave!

Como eu disse no começo desse texto… essa parábola gera discussão! Nem todos tem a mesma interpretação da história! E usualmente, quem a interpreta erradamente, são os “pródigos” que querem justificar seus erros e forçar todos a aceitar o erro como se nada tivesse acontecido! ISSO É HERESIA!

Robert Cleveland Lambeth

Nenhum comentário:

Postar um comentário