Páginas

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Pregadores Estrelas

Afinal de contas, quanto vale uma mensagem? Quanto se deve pagar para um pregador? Fui impulsionado a escrever sobre esse assunto, depois que recebi um e-mail de um amigo, informando-me do alto custo cobrado por alguns “pregadores estrelas” para ministrar a palavra de Deus! Fala-se que alguns cobram até R$ 10,000.00 para pregar uma única mensagem (o problema começa aí, no “cobra-se”)! A Bíblia fala que “digno é o obreiro do seu salário”, e de que “não se deve atar a boca do boi que debulha” e também o Apostolo Paulo disse: “se semeamos as coisas espirituais, não podemos colher as materiais?” Deus tem um plano de sustento para o Ministério. Contudo, o que estamos vendo é um abuso por parte de alguns, que acaba prejudicando toda a “classe de pregadores” (nem todos os pregadores são mercenários). Quando esses “pregadores estrelas”, começam a impor condições, preços e mordomias para pregar em uma Igreja, já se mostra com isso, que a visão deles não é espiritual e sim material. Para esses que exigem andar de avião particular, hotel 5 estrelas, segurança, ofertas e etc... deveria se exigir deles: 5 dias de jejum completo, oração de 5 horas por dia e etc... (afinal de contas, se eles podem exigir, porque o Pastor convidante não pode também exigir?) Será que esses “pregadores estrelas” pregam na unção ou no talento humano? Esses “pregadores estrelas”, investem tanto tempo e dinheiro, em melhorar a sua aparência – plásticas, manicures, salões de beleza - (até parece que na visão deles, a roupa usada influencia mais o mundo espiritual do que o tempo de consagração a Deus). Eu não posso julgar... mas tenho uma certa dificuldade em acreditar, que alguém que realmente ora e jejua, tem uma visão tão materialista como essa, de exigir tantas coisas supérfluas. Sim o pregador é digno do seu salário... e eu não tenho nada contra receber ofertas para pregar, afinal de contas, isso é o plano de Deus (como um pregador que vive da obra, sobreviverá sem o amparo financeiro da Igreja?). Minha queixa é com as exigências... minha queixa é com aqueles que escolhem aonde vão, baseados no tamanho da Igreja e no numero de pessoas esperadas no culto... o culto vai ser transmitido pelo rádio? Pela televisão? Pessoas preocupadas demais com a imagem própria! Já ouvi dizer que certos aspirantes a “pregador estrela” até pagam para pregar num evento religioso, realizado todos os anos em Santa Catarina. Pagam para ter o seu nome associado a esse encontro... porque depois de pregar lá (mesmo que seja no culto da madrugada com meia dúzia de pessoas) eles então podem cobrar mais para pregar em outros lugares... afinal de contas: “eu já preguei em Camburiú”. Isso é ridículo! Vamos voltar as nossas raízes... vamos ser mais autênticos! Obra de Deus não é comercio... não visa o engrandecimento do homem! Claro, se a Igreja quer abençoar um pregador dando-lhe um carro zero KM, que Deus seja louvado e que isso aconteça muitas vezes (que bom se acontecesse comigo um dia!!!) Mas não vamos ser movidos a coisas materiais. Um ministério que tem visão materialista, nunca prosperará no mundo espiritual!
Robert Cleveland Lambeth
OBS: hoje, se minha mãe tivesse viva, ela estaria completando 78 anos de vida! Que saudades mamãe!

Nenhum comentário:

Postar um comentário