Páginas

domingo, 6 de setembro de 2009

Vale a pena ler!!!

Estou postando um artigo muito interessante escrito pelo meu querido sobrinho Pr. John Lambeth Jr, pastor da IAB em Esteio - RS! Leia com atenção... Vale a pena!

Apesar...
Cantares 2:15 Apanhai-me as raposas, as raposinhas, que fazem mal as vinhas, as nossas vinhas que estão a flor.
Lendo o livro “fora do cativeiro”, conta a historia real de três americanos que foram seqüestrados pelos guerrilheiros FARC da Colômbia e passaram 5 anos no cativeiro em meio a selva colombiana. Aprenderam de tudo e viram de tudo neste período. Mas o que mais chamou atenção deles foi à inocência dos guerrilheiros em discernir o verdadeiro problema.
Porque problema? Pela simples razão que a cada 15 dias mais ou menos durante a noite, caças, helicópteros do exercito colombiano viam e despejavam suas bombas precisamente nos alvos inimigos, e o acampamento era totalmente destruído, era um salve-se quem puder. Forçava os guerrilheiros estarem sempre em constante movimento selva adentro para se salvarem. E nestes cinco anos de cativeiro foi sempre assim, uma incrível precisão nos alvos atacados durante as noites.
Estes três americanos observaram que durante o dia a dia um planador (avião sem motor) pequeno, simples, sem barulho, aos olhos dos guerrilheiros inofensivo, sobrevoava o dia inteiro a selva, indo e voltando de La pra ca e de ca pra la, todos os dias. Os reféns falaram aos guerrilheiros, que por sua vez durante o dia tomavam banho no rio, jogavam bola, brincavam tudo ao ar livre dizendo, quem vocês tem que ter medo é daquele aviãozinho pequeno ali em cima. Eles sempre riam, e diziam, aquele ali nunca nos fez mal nenhum e não é mal como os outros que vem a noite cospem fogo sobre nos. Aquele ali nunca nos fez nada! Nossa estratégia é tentar bloquear os grandes que a noite nos atormentam e nos trazem grande perdas, e não este ai que nada mais é do parecido como um pássaro que voa sem incomodar a ninguém.
Os guerrilheiros não sabiam o que os reféns estavam querendo dizer que aquele planador apesar de simples e pequeno, era super equipado com aparelhos de laser, infra-vermelho, câmeras de videos etc e tal que tirava foto de tudo e todos e pegava precisamente as posições dos alvos que a noite seriam atacados. Pois quando retornavam de sua missão aquele pequeno e simples planador, davas as coordenadas exatas para o ataque destrutivo contra os guerrilheiros, para seus companheiros dos caças e helicópteros que nada mais faziam do que seguir as coordenadas recebidas e cumprir mais uma missão bem sucedida destruindo por completo os alvos propostos. Bem que tentaram avisar, mas por ser pequeno e inofensivo comparado aos outros não deram bola.
Salomão, um dos homens mais sábio que terra jamais teve disse: São as raposinhas que destroem as vinhas. Porque será? As raposas apesar de serem carnívoras (que se alimentam de carne) eles também se alimentam de frutos. E um deles em especial é a Uva. Uma raposa adulta até consegue subir facilmente a parreira e pegar o que quer e ir embora sem causar muitos danos a vinha, mas as raposinhas filhotes por serem pequenas se frustram por não conseguir a subir e acabam roendo o caule La embaixo por frustração, e o que ocorre? a parreira inteira morre. Por isso o sábio Salomão disse: tens que cuidar é com a raposinhas.
E o que mais me chama a atenção, é que neste versículo diz que “a nossas vinhas que estão em flor”. Sabe que isto significa? Sempre depois da floração, vem o fruto.
Como Pastor envolvido diretamente na igreja, reconheço a pressão dos últimos dias sobre os nossos pastores e Bispos, problemas após problemas para manter uma igreja avante e santificada. Uma avalanche interminável de desafios a todos e em todos os campos, mas creia no que digo hoje “Apesar” disto tudo, a nossa vinha esta em floração e cabe a nos cuidar que as raposinhas (pequenas coisas) não entrem em nosso meio e matem nossa vinha que esta tão próxima de nos dar os frutos do nosso tão sonhado avivamento.
O dicionário Aurélio define muito bem o titulo acima “Apesar”: indica oposição a uma outra idéia exposta, mas que não é impeditiva (ex.: apesar de ser difícil, vou tentar).
Apesar da dificuldade, cabe nos pastores,obreiros, membros dar o nosso melhor e cuidar da vinha que Deus tem nos dado. Apesar da opressão maligna, cabe a nos tentar a cada dia, pois em breve o fruto ira nos recompensar.
Uma dica de como manter raposas (ou qualquer outro animal selvagem) distante de seu acampamento, é bem simples. É só colocar uma fogueira e por eles terem medo do fogo eles ficam bem longe do seu acampamento. (Talvez por isso Sansão teve tanto sucesso contra os filisteus aquele dia, uniu o fogo a própria raposas que tem medo de fogo... resultando em muita destruição ao inimigo). Aonde eu quero chegar com tudo isso? Como está o fogo do Espírito Santo em sua igreja? Aceso? Meia boca? Só umas brasinhas? Não podemos culpar a ninguém a não ser a nos mesmos pelo resultado que nossas vinhas tem apresentado.
Vamos ser honestos com nos mesmos. Apesar dos apesares, a vinha esta florescendo. Nunca houve tantos visitantes e almas vindas do nada para escutar a palavra de Deus em nossos cultos, pessoas com fome e sede pela palavra. A pergunta que me resta fazer é: tens orado, jejuado, lido a bíblia, ido de atrás destas almas?
Nossa vinha esta florescendo, logo os frutos estarão vindo, cabe a nos manter a chama acesa, o amor um para com o outro, união, dedicação, consagração e tantas outras coisas que por serem pequenas as vezes passa despercebida, mas lembre-se são as pequenas raposinhas que destroem a vinha.... que floresce!
Pr John John Lambeth

Nenhum comentário:

Postar um comentário